quinta-feira, novembro 08, 2007

Surto de ebola ressurge no Congo

Um novo surto do vírus ebola na República Democrática do Congo já matou 166 pessoas e infectou outras 327, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).
As mortes aconteceram na Província de Kasai Ocidental, na região central do país, ainda segundo fontes da OMS, para onde já foram enviados especialistas, remédios e equipamentos para isolar os infectados.
O ebola provoca uma febre hemorrágica gravíssima e muito contagiosa que provoca uma alta taxa de mortalidade, por volta de 90%.
A doença não tem cura conhecida e causa fortes dores de estômago e hemorragia interna.
A OMS afirmou que não há necessidade de impor restrições de viagem para o país ainda, mas os países vizinhos demonstraram estar preocupados com a situação na República Democrática do Congo.
Uganda emitiu um alerta vermelho para os postos de fronteira e instruiu o pessoal de terra do aeroporto internacional de Entebbe a prestar atenção a pessoas que apresentem sintomas semelhantes aos do ebola.
Laboratórios especializados no Gabão e na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos, estão examinando amostras de sangue dos infectados e confirmaram que além do ebola, as vítimas estão infectadas com o vírus Shigella.
O surto atual começou há cerca de três meses em Kananga, a capital da região de Kasai Ocidental.
Vários povoados estão sob quarentena, e o surto está sendo considerado o pior dos últimos anos. As conseqüências devem durar vários anos mesmo que ele seja contido.
Acredita-se que o ebola seja transmitido através do consumo de carne de animais selvagens, e pelo contato com sangue e secreções de pessoas infectadas.
O último surto de ebola na República Democrática do Congo matou mais de 200 pessoas em 1995, na cidade de Kikwit, cerca de 400 km a oeste da região atingida desta vez.
O pior caso de ebola aconteceu em Uganda em 2001, quando foram registrados mais de 400 casos. Mais da metade morreu.
O Profeta/Blog
Lucas 21:11
E haverá, em vários lugares, (...) pestilências...
«Pestilências» nestes tempos modernos estão se multiplicando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário